Acesso interno

Abraço grátis e Ciranda de Minas marcam Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio


10 de setembro de 2019 - , , , ,


 

Segurança, amor, carinho, relaxamento… em um simples gesto de abraço pode caber uma imensidão de sentimentos que vão além do contato físico. E foi com um abraço que estudantes, professores, funcionários e quem mais passou pela Faculdade de Medicina da UFMG foram recebidos nesta terça-feira, 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Voluntárias do projeto de extensão da Faculdade, o Encantarte, não economizaram em afeto e distribuíram abraços e também lacinhos amarelos para lembrar que ninguém está sozinho na prevenção ao suicídio e cuidados com a saúde mental.

A ação integra as atividades do Setembro Amarelo na Instituição, campanha de conscientização para a importância da promoção da saúde mental e prevenção do autoextermínio. Além dos abraços e palavras de conforto e carinho, também houve apresentação do Ciranda de Minas, que é um grupo criado por participantes da Associação dos Funcionários Aposentados do campus Saúde da UFMG (Afamed).

O diretor Humberto Alves recebendo o lacinho amarelo, símbolo do mês de conscientização para prevenir o suicídio. Foto: Deborah Castro

Para o diretor da Unidade, professor Humberto José Alves, é preciso acolher as pessoas e lembrá-las que cuidar da saúde mental é importante. “O abraço é muito importante, não apenas no sentido físico, mas no sentido de acolher, de abraçar a causa das pessoas. E essa visão tem sido parte da gestão atual, minha e da professora Alamanda, que entendemos a saúde mental como algo muito importante”, comenta.

Nove em cada dez mortes por suicídio poderiam ser evitadas com educação e campanhas de prevenção, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Para a Maria Aparecida Miranda da Silva, psicóloga do Núcleo de Apoio Psicopedagógico aos Estudantes da Faculdade de Medicina (Napem) e membro da Rede de Saúde Mental da UFMG, também é importante a busca por profissionais de saúde.

“A gente precisa terminar com esse preconceito que exite em relação a procurar um psicólogo e um psiquiatra. Isso faz parte para o nosso cuidado”, reforça Maria Aparecida Miranda da Silva.

Segundo a psicóloga, a ação também veio trazer um pouco de alegria ao ambiente da Faculdade de Medicina. O que para a aposentada Oliete Carolina de Oliveira, de 58 anos, fez toda a diferença. Ela faz, há 33 anos, acompanhamento psiquiátrico no ambulatório do Hospital das Clínicas da UFMG e chama a atenção para momentos de acolhimento. “Esses momentos ajudam muito, às vezes estamos tristes e quando vemos a alegria daquele povo ali [voluntários Encantarte] e a gente fica mais animado e com mais vontade de viver”, relata.

E alegria é a com ela mesma, a palhaça Keka, voluntária do Encantarte. Com bom humor e animação, ela ajudou a lembrar que ninguém está sozinho. “Às vezes as palavras não falam, mas um baraço ou um sorriso fala muito e ajuda a renovar forças”, conclui.

Confira a galeria:

A ação também serviu como convite para a comunidade da Faculdade participar do Projeto Viva mais Vida escrevendo mensagens positivas no mural disponível no Hall da Unidade.

Ciranda de Minas

Com o intuito de sensibilizar e informar a comunidade sobre a importância da prevenção ao suicídio e promoção da saúde mental, a Faculdade de Medicina promove série de atividades gratuitas e abertas ao público durante este mês de setembro.

Nesta terça-feira, 10, o grupo Ciranda de Minas, da Associação dos Funcionários Aposentados no campus Saúde da UFMG (Afamed), se apresentou com música, dança e poesia no Hall da Faculdade. Ao final, o maestro da Afamed, Edson Costa, lembrou que “não importa a idade, a vida de cada é necessária”. “Cada um de vocês é importante, inclusive para outras pessoas. A vida importa”, ressaltou.

Fotos: Deborah Castro

Leia também: Medicina UFMG promove mês de prevenção ao suicídio