Notícias Externas

Alimentação está diretamente ligada ao desempenho profissional


Publicado em: ExternasSaúde - 31 de agosto de 2016

Alimentação pode influenciar na produtividade, atenção, concentração e na saúde do trabalhador

Walisson Menezes*

Quem trabalha oito horas por dia, ou mais, sabe o quanto é difícil se alimentar corretamente, uma vez que a maioria de suas refeições é feita fora de casa. Com o grande número de lanchonetes fast food e a baixa oferta de estabelecimentos que ofereçam uma variedade maior de alimentos naturais, uma boa alimentação acaba sendo substituída por salgados, doces e petiscos em geral. Mas o que poucas pessoas sabem é que a alimentação está diretamente relacionada ao seu desempenho profissional, podendo influenciar na produtividade, na atenção e na saúde do trabalhador como um todo.

O Brasil passou por mudanças profundas em seus hábitos alimentares nas últimas décadas. A população saiu de um quadro de subnutrição, em que muitas pessoas não tinham o que comer, para uma realidade oposta, em que mais da metade da população está acima do peso. A quantidade de pessoas obesas também aumentou, passando de 10% no início dos anos 2000, para mais de 18% da população em 2015, segundo dados do IBGE. Atualmente, os brasileiros têm melhores condições financeiras para comprar comida, contudo, ainda precisam aprender a ser alimentar corretamente.

marmita

Imagem: reprodução/internet

Segundo a professora do Departamento de Nutrição da Faculdade de Enfermagem da UFMG, Bruna Vieira de Lima Costa, a escolha de alimentos não saudáveis contribui com o aumento expressivo do excesso de peso entre os adultos brasileiros. “A inadequação do peso corporal pode tornar as atividades diárias mais desgastantes, pois gera maior sobrecarga à coluna, influindo nas posturas adotadas, além de resultar em menor desempenho e produtividade, tornando insatisfatória a qualidade de vida no trabalho”, comenta. Quem não se alimenta corretamente durante o dia a dia, tem a saúde fragilizada, sendo mais fácil pegar uma simples gripe ou apresentar problemas cardiovasculares. Pode ainda, a longo prazo, apresentar problemas graves como obesidade e hipertensão.

De acordo com Bruna, para ter um maior controle sobre a sua alimentação durante as grandes refeições, como o almoço, por exemplo, é interessante levar a própria refeição de casa. “Isto o ajudará a comer de forma mais saudável, com escolhas harmônicas e equilibradas, além de permitir uma economia”, indica. Já para quem não pode levar sua refeição de casa e precisa fazer suas refeições em restaurantes, a dica é deixar o prato bem colorido, com verduras e legumes, além do bom e velho arroz com feijão, que por si só, já é uma refeição bem balanceada e nutritiva. Na hora de escolher a carne, dê preferência para as mais magras como o frango e o peixe. Carnes pesadas podem dar indisposição e sonolência após a refeição, prejudicando o desempenho no trabalho.

As chamadas refeições intermediárias, como os lanches da manhã e tarde, também precisam ser valorizadas. “Uma boa opção são as frutas, que apresentam um elevado valor nutricional e podem ser facilmente transportadas em vasilhames. O ideal é levá-las já higienizadas e armazená-las sob refrigeração, quando necessário. Em qualquer horário vale a pena evitar os produtos industrializados (alimentos ultraprocessados) que são nutricionalmente desbalanceados e apresentam alto conteúdo de gorduras, açúcares e sal”, explica a professora Bruna Vieira.

É preciso também ter consciência de que cada tipo de trabalho requer um tipo de dieta específica. Pessoas que trabalham o dia inteiro em escritório, por exemplo, correm o risco de se tornar obesas, caso sigam a mesma alimentação indicada para um operário da construção civil. “O Programa de Alimentação do Trabalhador contempla esta variação e estabelece os parâmetros nutricionais admitindo-se um acréscimo de 400 calorias (20%) em relação ao valor energético total, estabelecido como 2.000 calorias por dia. E para que os indivíduos consigam realizar escolhas alimentares saudáveis, uma boa referência é o novo Guia Alimentar para População Brasileira, publicado pelo Ministério da Saúde, em 2014, disponível em PDF na internet. Vale ressaltar também, a importância do acompanhamento nutricional com um profissional habilitado, como o nutricionista”, explica a professora.

Por fim, não se pode deixar de prestar atenção às condições de armazenamento e preparo dos alimentos, seja no seu local de trabalho ou nos restaurantes. Más condições de armazenamento e preparo podem contaminar os alimentos, tornando-os um perigo à saúde. É possível perceber quando um alimento está estragado, através do seu cheiro e aparência, mas quando o alimento está contaminado é quase impossível perceber a olho nu. Sendo assim, a prevenção é a melhor escolha.

Quem valoriza o seu trabalho e se preocupa com o seu rendimento, deve cuidar muito bem de sua alimentação, uma vez que uma dieta mal balanceada pode ocasionar problemas como a falta de concentração, pouca disposição para realizar as atividades e até mesmo o mau humor ao longo do dia. Ao cuidar melhor da alimentação, o profissional estará cuidando de todos os outros aspectos de sua vida, inclusive o trabalho.

*Redação: Walisson Menezes – estagiário de jornalismo
Edição: Larissa Rodrigues

    Contador de visitas: 2.621 visualizações

    Veja também: