Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

105 anos: por Cid Velloso


Publicado em: ExternasInstitucionais - 19 de fevereiro de 2016

Diretor no período final da Ditadura Militar, Cid Velloso conta histórias de mudanças na Faculdade

No próximo dia 5 de março, a Faculdade de Medicina da UFMG comemora 105 anos de existência. Todos os alunos, professores, técnico-administrativos e colaboradores fazem parte dessa história. Por isso, alguns representantes desses setores foram convidados a dar depoimentos e contar um pouco sobre suas experiências na Faculdade e as perspectivas para o futuro.

O primeiro é o diretor Cid Velloso (1980-1982), graduado em Medicina pela Faculdade em 1961 e contratado para ser instrutor de ensino da Clínica de Propedêutica Médica no ano seguinte, quando iniciou sua carreira de professor. Ele assumiu a vice-direção em 1978 e a diretoria em 1980, ficando no cargo por dois anos. Também foi reitor da UFMG em 1985.

IMG_5828

Professor Cid Velloso, diretor da Faculdade de Medicina entre 1980 e 1982

“A experiência na Faculdade é sempre muito rica. A minha época foi muito conturbada porque foi ao final da Ditadura Militar e já havia muita agitação na parte estudantil e de funcionários querendo mudar a situação. Outra coisa era a necessidade das pessoas de participarem do processo de decisão. Os alunos não tinham poder, embora eu sempre os tenha considerado como as pessoas mais importantes na universidade, pois sem aluno a universidade não tem sentido. Funcionários tinham menos ainda.

A grande preocupação que já havia e que exerci muito foi dar mais força a essa necessidade e à possibilidade de participarem naquilo que era possível. Claro que eles não poderiam tomar decisões definitivas sem passar pela Congregação. Havia legislações sobre isso: o regime militar ainda restringia muito essa liberdade. Mas, naquilo que era possível, eu os convidava a participar.

À época, o movimento interno mais importante da Faculdade de Medicina era a Consolidação da Reforma Curricular de 1975, feita também nacionalmente. O MEC – Ministério da Educação e Cultura – estabeleceu a chamada Integração Docente Assistencial (IDA), por meio da qual o ensino passou a ser feito na prática médica, em vez de ser laboratorial. Eu, inclusive, me formei assim. O aluno também passou a ter que ir ao Pronto Socorro e não aprender só na teoria. Não vamos dizer se era melhor ou pior: era uma coisa, depois mudou. Mas essa Integração colocou o aluno diretamente na assistência real e cotidiana da saúde.

A gente dizia o seguinte: se saúde não tira férias, o ambulatório não pode fechar. E, assim, o Calendário Contínuo também foi implantado com a IDA, mantendo o ambulatório e o hospital funcionando continuamente.

Outra prática fundamental foi o Internato Rural, criado na Faculdade de Medicina nessa época, o qual é muito importante para que o aluno tenha contato com locais de pouca estrutura, para que não fique apenas na cidade grande e com recursos. Esse Internato foi o primeiro do Brasil. Muitas faculdades tinham internatos voluntários, mas o nosso foi obrigatório.

Depois da Ditadura Militar, todos tinham uma necessidade de votar, de participar. Em 1982, houve a primeira eleição direta para a diretoria da Faculdade. As pessoas votavam em quem elas queriam que fosse diretor, mas não tinham candidatos oficiais. Os mais votados eram analisados para consentimento da Congregação. O mais votado fui eu, mas a Congregação não me aceitou.

O mesmo processo ocorreu em 1983 no Hospital das Clínicas (HC/UFMG). Novamente fui o mais votado, e, dessa vez, o reitor me nomeou diretor do HC/UFMG. Depois, em 1985, houve a primeira eleição direta para reitor da UFMG. Eu também fui o mais votado e, dessa vez, eleito.

São muitas lembranças. 105 anos é uma data importantíssima. A Faculdade de Medicina da UFMG foi a terceira criada no país. Essa idade consolida a Faculdade pelo acúmulo, não só de conhecimento e pesquisa, que são ótimos, mas também uma consolidação humana e política. Tudo isso passa pela história da Instituição e essa idade a valoriza muito. Espero que a Faculdade possa manter o seu espírito formador de seres humanos e que possa progredir sempre mais.”

Selo comemorativo

SELO_105_FACULDADE_MEDICINA1Para marcar os 105 anos da Faculdade de Medicina da UFMG, um selo comemorativo foi desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social (ACS) da Instituição para ser utilizado em suas peças gráficas de eventos. O manual de aplicação está disponível através do site ACS da Faculdade (CLIQUE AQUI). Os interessados também podem baixar a imagem como fundo de tela para o computador.

    Contador de visitas: 2.145 visualizações Tópicos:

    Veja também: