HL7 e INTEROPERABILIDADE. Quando, como e por quê?

Participe de mais uma Palestra do Seminário SBIS on line, amanhã, 1 de agosto/2016, às 20 horas
Acesso gratuito: https://sbis.webex.com/sbis/onstage/g.php?MTID=ed065bfffcb430707cedf32ea2d7542ac

HL7 e INTEROPERABILIDADE. Quando, como e por quê ?

Hospitais e organizações de saúde têm tipicamente muitos sistemas computadorizados diferentes, que precisam se comunicar frequentemente uns com os outros. O HL7 (“Health Level 7) especifica uma série de normas flexíveis, diretrizes e metodologias pelas quais sistemas de saúde diferentes e heterogêneos podem intercambiar dados, usando um conjunto de regras que permitem fazer isso de maneira uniforme e consistente. Ela desenvolve padrões conceituais (por exemplo, HL7 RIM), de documentos (por exemplo, HL7 CDA), normas de aplicação (por exemplo, HL7 CCOW), e de mensagens (por exemplo, HL7 v2.xe v3.0). Deste modo, o HL7 abrange o ciclo de vida completo de uma especificação de padrões, incluindo o desenvolvimento, a adoção, reconhecimento do mercado, utilização e aderência, sendo de importância fundamental em Interoperabilidade.

HL7 e INTEROPERABILIDADE. Quando, como e por quê ? Dia 01 de agosto de 2016 das 20h às 21h30.

Dr.Marivan Santiago Abrahão
Médico – Clinico Geral e Nefrologista do Corpo Clinico do Hospital Israelita Albert Einstein.
Especialista em Ciência da Computação pela UFRJ.
Professor de Semiologia da Faculdade de Medicina da Universidade São Camilo, SP
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde.
Presidente do Instituto HL7 Brasil.
Especialista em Padrões de informação e Terminologias de Informática em Saúde.
Lates : http://lattes.cnpq.br/1964413787478430