Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Crescimento da próstata é natural


Publicado em: ExternasSaúde - 19 de julho de 2017

Homens apresentam crescimento da próstata, especialmente, a partir dos 50 anos de idade

Ives Teixeira Souza*

 

Bons hábitos, como alimentação balanceada, são fundamentais para prevenção e controle. Foto: Reprodução – pixabay.com

Relacionada com o avanço da idade do homem, a hiperplasia benigna da próstata (HBP) é o resultado do crescimento progressivo da estrutura da próstata, a partir do envelhecimento do indivíduo. O urologista e professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFMG, Daniel Xavier, afirma que o crescimento da próstata é algo natural, sendo que os sintomas só acontecem em determinadas pessoas, quando a próstata apresenta um crescimento mais exagerado, o que ocorre a partir de fatores hormonais e genéticos. “A hiperplasia reflete uma tendência genética e não há como impedir o crescimento da próstata, assim como não há como evitar o envelhecimento”, explica o professor.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, cerca de 40% dos homens entre 60 e 70 anos apresentam sintomas, sendo que esse número pode chegar a 80% em pessoas com 90 anos ou mais. O aumento do volume da próstata na região mais interna da glândula pode diminuir o fluxo da urina, já que a uretra é pressionada na sua parte entre a próstata, quando transporta a urina da bexiga para o meio externo. Assim, a obstrução da uretra pode causar acúmulo de urina no rim, podendo levar até mesmo à insuficiência renal, em casos muito avançados.

Os sintomas estão relacionados à mudança da micção, refletindo tanto o processo obstrutivo sobre a uretra quanto o efeito de compressão na base da bexiga, o que interfere no armazenamento da urina. Dentre os sintomas obstrutivos, destacam-se a sensação de um jato urinário mais fraco, a necessidade de realizar esforço para urinar, o gotejamento ao final da micção e a percepção de não esvaziamento completo da bexiga. Já os principais sintomas de armazenamento incluem o aumento da frequência de micções e o desejo muito intenso de urinar.

Tratamento
O urologista afirma que a hiperplasia só precisa ser tratada quando os sintomas aparecem, sendo que há medicamentos capazes de resolver o problema, na maioria dos casos. Quando os remédios não funcionam, há a opção de realizar cirurgia. “A forma clássica de se tratar cirurgicamente a hiperplasia é a ressecção endoscópica, que é uma operação feita por via transuretral. Em raros casos em que a próstata é extremamente volumosa, é necessária a operação por meio de incisão abdominal”, explica.

O professor acrescenta que essas operações, normalmente, não afetam a potência sexual, já que não há comprometimento das regiões onde passam os nervos responsáveis pela ereção. Além disso, ele elucida que não existe nenhuma correlação entre a hiperplasia prostática e o desenvolvimento do câncer da próstata. “São situações distintas e não correlatas. Até mesmo a região da próstata onde ocorre a hiperplasia é diferente da região onde se origina o câncer”, destaca Xavier.

Prevenção e controle
Xavier alerta sobre a necessidade dos homens cuidarem mais da saúde. São recomendadas visitas regulares ao médico, principalmente, após os 40 anos, quando é desejável fazer um acompanhamento com um urologista. “Além de ter hábitos de vida saudáveis, como atividade física regular, alimentação balanceada e visitas regulares ao médico”, aconselha o professor.

 

*Redação: Ives Teixeira Souza – estagiário de jornalismo
Edição: Mariana Pires

    Contador de visitas: 266 visualizações

    Veja também: