OSAT Faculdade de Medicina UFMG Intranet

CPQ

Centro de Pesquisa


Centro de Pesquisa

O Centro de Pesquisa (CPq) da Faculdade de Medicina foi criado pela Resolução 02/83, de sete de outubro de 1983, na gestão do Prof. Tancredo Alves Furtado. O principal motivo para a criação de um “Centro de Pesquisa”, no âmbito da Faculdade, foi a necessidade de se ter um órgão que promovesse e estimulasse as atividades de pesquisa nos diversos departamentos da mesma.

Ao CPq/FM caberia, ainda, a função de assessorar a Diretoria da Faculdade em atividades ligadas à investigação científica, devendo, para isto, manter um cadastro atualizado das pesquisas realizadas na unidade. Compete, ainda, ao CPq/FM fornecer informações e formulários a estudantes interessados em atividades de iniciação científica, colaborar com a Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade na organização de eventos institucionais de iniciação científica, entre outros.

Seu primeiro coordenador foi o Prof. Luiz de Paula Castro, do Departamento de Clínica Médica, que administrou o CPq de 21 de novembro 1983 a 29 de outubro de 1990. Desde então, foram coordenadores do CPq os seguintes professores: Prof. José Renan da Cunha Melo, de novembro de 1990 a novembro 1994, Prof. René Mendes, do Departamento de Medicina Preventiva e Social de novembro de1994 a julho de 1996, Prof. César Coelho Xavier, do Departamento de Pediatria, de julho de 1996 a agosto de 1998, Prof. Alfredo José Afonso Barbosa, do Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal, de agosto de 1998 a agosto de 2002, Prof. Edilberto Nogueira Mendes, do Departamento de Propedêutica Complementar, de setembro de 2002 a abril de 2004, Prof. Marcus Vinicius Melo de Andrade, do Departamento de Clínica Médica, de abril de 2004 a maio de 2005, Prof. Jorge Andrade Pinto, do Departamento de Pediatria, de maio 2005 a janeiro 2008, Prof. Marco Aurélio Romano Silva, do Departamento de Saúde Mental, de janeiro de 2008 a junho de 2010 e Prof. Agnaldo Lopes da Silva Filho, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia, de junho de 2010 a abril de 2014.

Atualmente tem como coordenadora a Profa. Débora Marques de Miranda, do Departamento de Pediatria, e como sub-coordenador o Prof. Fernando Marcos dos Reis, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia. Tem crescido a inserção dos estudantes de graduação nas pesquisas desenvolvidas em programas de iniciação científica. A produção científica da Faculdade conta com dezenas de laboratórios e com o financiamento de importantes parceiros nacionais e internacionais, como Fapemig, Finep, Capes e CNPq , além da Pró-reitoria de Pesquisa da UFMG. Para estimular o desenvolvimento e a colaboração em atividades de pesquisa, o CPq se dedica a promover a integração, organização e divulgação dos trabalhos realizados na Faculdade de Medicina da UFMG. O CPq é responsável pela organização da Semana de Iniciação Científica na Faculdade de Medicina da UFMG. Esse evento anual promovido pela UFMG com o objetivo de divulgar os projetos de alunos da instituição, conforme determina orientação nacional para as instituições de ensino superior. Também integram a programação, palestras, mesas-redondas e oficinas, além de atividades culturais.

Atualmente O CPq é responsável por administrar o Núcleo de Experimentação Animal, o Centro de Excelência em Imagem Molecular e o Laboratório Multi-uso.

Núcleo de Experimentação Animal da Faculdade de Medicina

Até recentemente, a Faculdade de Medicina não dispunha de um biotério em condições adequadas para alojamento e cuidado aos animais de experimentação. A área física era reduzida e totalmente inadequada para a experimentação animal. A partir de janeiro de 2008, foi iniciado um processo de reforma do setor no sentido de atender às exigências e normas para realização de experimentação animal. Nessa ocasião, o diretor da Faculdade de Medicina da UFMG, o Professor Francisco José Penna, em comum acordo com o coordenador do Centro de Pesquisa, o Professor Marco Aurélio Romano-Silva, designaram a Profa Ana Cristina Simões e Silva para assumir a Coordenação do Biotério e viabilizar a reforma do setor. Os recursos utilizados foram constituídos em parte da FINEP e em parte da própria Faculdade de Medicina. Com o apoio da Direção, foi feito um projeto adequado às recomendações básicas de biossegurança para biotérios e às necessidades dos pesquisadores que já atuavam no setor. Em reuniões conjuntas entre os pesquisadores da Faculdade de Medicina, os membros do Centro de Pesquisa, a diretoria da Faculdade de Medicina e o serviço de arquitetura e engenharia da Faculdade de Medicina o projeto foi discutido e aprovado.

A seguir, o projeto foi submetido à apreciação e posterior aprovação pelo Setor de Vigilância Sanitária de Minas Gerais. Depois de todo esse processo, a reforma iniciou-se no final do ano de 2008, sendo concluída em agosto de 2010. Nesse período de reforma do biotério, o regimento do setor foi reformulado e foram elaboradas novas normas de funcionamento. O biotério passou, então, a ser designado Núcleo de Experimentação Animal, e o regimento proposto foi aprovado pela Congregação da Faculdade de Medicina em abril de 2010. Atualmente, o Núcleo de Experimentação Animal está localizado em prédio anexo à Faculdade de Medicina da UFMG, possuindo condições e instalações adequadas para experimentação animal.

O Núcleo está subordinado administrativamente ao Centro de Pesquisa e tem como coordenadora a Profa Ana Cristina Simões e Silva e como sub-coordenador o Prof Antonio Lúcio Teixeira Junior. O setor conta com três funcionários técnico-administrativos e visa oferecer aos docentes e estudantes da FM/UFMG suporte para o desenvolvimento de pesquisas com animais de pequeno (ratos, camundongos, outros pequenos roedores) e médio (coelhos) porte. As novas normas internas de funcionamento estão vigentes desde janeiro de 2011 e acredita-se que a organização e estruturação do Núcleo de Experimentação Animal permitirá o desenvolvimento e aprimoramento de pesquisas com animais na Faculdade de Medicina da UFMG.

Centro de Excelência em Imagem Molecular

Em 2010, com recursos oriundos do programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) do MCT/CNPq/FAPEMIG, sob a coordenação do Prof. Marco Aurélio Romano-Silva, foram adquiridos equipamentos que compõem o Centro de Excelência em Imagem Molecular do INCT de Medicina Molecular, sediado na Faculdade de Medicina. O Centro encontra-se em fase de instalação, em uma área de 320 metros quadrados no campus Saúde da UFMG, o Centro abrigará modelo de ponta de Tomógrafo por Emissão de Pósitrons (PET/CT) e outro sistema de PET para pesquisas pré-clínicas com pequenos animais, localizado no Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN), no campus Pampulha. O núcleo também contará com infraestrutura de processamento e análise de imagens para aplicações neuropsiquiátricas, oncológicas e cardiovasculares.

A PET (do inglês Pósitron Emission Tomography) é uma modalidade diagnóstica não invasiva, que usa radiofármacos para apreender e medir processos bioquímicos tissulares. Como outras técnicas de medicina nuclear, a PET demarca doença em termos de uma química regional, quantitativamente anormal. Ela mede a atividade metabólica das células corporais, permitindo a investigação da perfusão, das vias metabólicas e dos processos biomoleculares em estados normais e patológicos, que podem ser utilizadas como biomarcadores. Pelo conjunto de recursos disponíveis, podemos considerar o Centro como um dos mais avançados do gênero no país, representando uma mudança de paradigma em pesquisa na Faculdade de Medicina, colocando-a entre os melhores centros de pesquisa biomédica do Brasil.

Laboratório Multi-uso

Em 2006, o programa CT-infra da FINEP alocou recursos para a construção do Laboratório Multi-usuário da Faculdade de Medicina, assim como para aquisição de parte dos equipamentos que comporiam essa estrutura. O projeto que original foi elaborado e coordenado pelos professores José Renan da Cunha Melo e Jorge Andrade Pinto. Por uma série de problemas logísticos, tais como a lenta desocupação da área a ser reformada, o projeto ficou paralisado por quatro anos. Em 2010, o CPq retomou o projeto inicial, adequou às condições atuais de pesquisa e iniciou a implantação do primeiro Laboratório Multiusuário da Faculdade de Medicina em uma área física de 336m².

Seguindo uma tendência mundial, o novo laboratório permitirá que equipamentos de uso comum entre diferentes grupos de pesquisa sejam compartilhados, em ambiente adaptado para o trabalho conjunto. Essa estrutura está em construção e conta com áreas comuns de esterilização de materiais para uso em laboratório, sala de freezers, câmara fria e área de bancada para uso comum. Com a implantação dessas áreas acreditamos que haverá maior possibilidade de inserção precoce de professores recém-contratados na estrutura de pesquisa e otimização do uso da estrutura de pesquisa existente na Faculdade de Medicina.

 

Publicado em: 09/08/2017

Página Inicial

Voltar