O Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Farmacologia Bioquímica e Molecular, com sede no Instituto de Ciências Biológicas (ICB), foi aprovado pelo Conselho Universitário em 05/07/2001 e recomendado pela CAPES com o conceito 6 em março de 2002. Grande parte dos docentes fundadores do curso pertenciam, desde 1990, ao corpo de professores vinculados à área de concentração em Farmacologia do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Fisiologia e Farmacologia, sob responsabilidade do Departamento de Fisiologia e Biofísica do ICB. A partir de 22/08/1997, quando a Congregação do ICB aprovou a criação do Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, o programa foi submetido a análise pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFMG e demais instâncias pertinentes, culminando, em 14/12/2000, com a criação do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Farmacologia Bioquímica e Molecular.

Na avaliação referente ao triênio 2001/2003, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Farmacologia Bioquímica e Molecular manteve o conceito 6. Na avaliação referente ao triênio 2004/2006, o Programa de Pós-Graduação obteve o conceito 5, com o argumento de que “cursos iniciados a partir de 2002 não eram elegíveis ao conceito 6 ou 7”. Entre 2006 e 2009, o núcleo principal de docentes, lotados no Departamento de Farmacologia, se tranferiram para a Faculdade de Medicina e outras Instituições, o que levou o Colegiado do Programa a propor à Pro-reitoria de Pós-graduação, a mudança de nome e sede do Programa, que passaria a se chamar Medicina Molecular, com sede na Faculdade de Medicina. Subsequentemente houve um redimensionamento do Programa, com a admissão de novos docentes, processo esse sugerido pela Comissão designada pela Coordenação de Avaliação da CAPES/Biológicas II, em visita à Faculdade de Medicina, em junho de 2008. Ainda, em 2008, os docentes do Programa submeteram um projeto ao MCT/CNPq referente ao Programa “Institutos Nacionais de C&T”, projeto esse aprovado.

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Medicina Molecular (INCT-MM) tem por objetivo integrar a ciência básica e tecnológica à prática clínica, o que permite a investigação de anormalidades moleculares e celulares específicas relacionadas ao desenvolvimento de doenças. O INCT de Medicina Molecular focaliza seus recursos na pesquisa dos mecanismos fisiopatológicos de doenças graves e complexas e no desenvolvimento de novos tratamentos, propiciando, ainda, condições para a formação de recursos humanos de qualidade nas áreas de atuação do instituto, em nível de graduação, pós-graduação (especialização, residência, mestrado e doutorado) e pós-doutorado; além de conseqüente divulgação científica e publicações de impacto internacional.

A partir dos fatos acima narrados, a proposta de mudança de sede e nome veio de encontro às sugestões da CAPES e dos docentes do Programa, bem como atendia ao Programa “Institutos Nacionais de C&T”. Finalmente, em reunião realizada em 08/06/2010, o Conselho Universitário aprovou a mudança de nome e sede do Programa, cuja modificação foi encaminhada à CAPES.

O programa de Pós-graduação em Medicina Molecular foi aprovado pela CAPES em setembro de 2011 (Port. MEC 1325, de 21/9/2011, D.O.U 22/9/2011).