Destaques

Anatomia Patológica e Medicina Legal

Patologia significa, literalmente, estudo das doenças. Estudar doenças, porém, é assunto muito vasto. De um lado, pode-se estudar as doenças segundo suas causas, que envolvem vasto número de agentes físicos, químicos e biológicos, além de transtornos da nutrição, desvios na resposta imunitária e anormalidades no genoma humano. Além das causas, é importante que se conheçam os mecanismos pelos quais os agentes atuam para provocar as doenças, produzindo alterações moleculares, microscópicas e macroscópicas, componentes essenciais para a determinação do diagnóstico. Em consequência de lesões estruturais, celulares e orgânicas, o doente apresenta as mais variadas manifestações clínicas, que podem se associar a alterações em testes funcionais ou de laboratório, complementares para o diagnóstico.

Estudar doenças é o objeto da Patologia, mas não em toda sua amplitude, extensão e complexidade, mas segundo determinados aspectos. A Patologia envolve-se com a etiologia (estudo das causas), a patogênese (estudo dos mecanismos pelos quais surgem as lesões e doenças), as lesões morfológicas (macro e microscópicas) e as repercussões das doenças, sobretudo suas consequências e complicações, e a fisiopatologia, significando esta as alterações funcionais que aparecem em um órgão, em um sistema ou no indivíduo todo quando nele existe uma doença. Mesmo sendo uma parte dentro de um todo, a Patologia tem enorme importância nas profissões da saúde. Em primeiro lugar, ao explorar as causas e os mecanismos patogenéticos que provocam as doenças, a Patologia fornece elementos para orientar a prevenção (profilaxia) e o tratamento das doenças.

Como é bastante conhecido, numerosas doenças, algumas prevalentes e até fatais, não têm causa conhecida (ditas doenças idiopáticas). Para elas, não existe tratamento curativo, pois, não podendo se combater a causa, não se pode eliminar a doença. Por outro lado, conhecer as alterações morfológicas é essencial para se compreender o quadro clínico dos doentes (sinais e sintomas clínicos, alterações laboratoriais etc.) e se chegar ao diagnóstico correto, o que permite ações terapêuticas mais apropriadas. Compreender as repercussões das doenças também é indispensável para prever sua evolução, complicações e prognóstico. Enfim, mesmo sendo apenas uma parte dentro desse todo, a Patologia ocupa lugar de grande destaque no conhecimento das doenças.

Há duas grandes subdivisões: Patologia Geral e Patologia Especial, podendo esta ser Humana, Odontológica ou Veterinária. A Patologia Geral cuida dos aspectos gerais e comuns a todas as doenças (p.ex., inflamações, neoplasias, alterações circulatórias etc.), de qualquer indivíduo e de qualquer órgão ou sistema. A Patologia Humana, por sua vez, lida com as doenças que afetam os diferentes órgãos (doenças do coração, doenças renais etc.). O profissional médico especializado em patologia é denominado patologista (anatomopatologista).

No laboratório de Anatomia Patológica, o patologista realiza exames histopatológicos e citológicos, esses últimos através de esfregaços obtidos com a punção aspirativa de lesões, sólidas ou císticas, líquidos corporais, dentre outros. O histopatológico se inicia com o exame macroscópico das amostras recebidas, encaminhadas para o processamento histológico convencional até a inclusão em blocos de parafina. Nos procedimentos de rotina, o diagnóstico pode ser liberado entre 24-48 horas. Método de congelação, que dispensa o procedimento convencional, útil nos diagnósticos peroperatórios para confirmação de malignidade, pode ser realizado em até 15 minutos, apesar de algumas limitações. Outra atividade importante de responsabilidade do patologista é a realização do exame necroscópico ou post-mortem. O procedimento, realizado em grandes centros médicos, especialmente em Escolas de Medicina, é denominado necropsia ou autópsia. Nesse, procede-se o exame sistemático dos órgãos ou de partes deles, com a finalidade de se determinar a causa da morte, permitindo ainda a correlação com os achados clínicos.

A necropsia é, reconhecidamente, importante ferramenta de pesquisa e aprendizado médico. O esclarecimento das causas da morte de um paciente é fundamental para a definição das políticas de saúde, implantação de medidas oportunas de vigilância às doenças e promoção de diagnósticos. Além disso, permite melhoramento dos Sistemas de Informação sobre mortalidade, baseados nos atestados de óbito. A necropsia representa ainda a melhor maneira de se atestar a qualidade do Serviço Médico prestado a uma determinada população. Ao clínico, representa a possibilidade de aprender com os acertos e especialmente com os erros, consolidando o conhecimento. Novas doenças podem ser descobertas, doenças conhecidas podem se apresentar de formas adversas. A necropsia permite identificar os efeitos deletérios de novas drogas instituídas. Enfim, com a necropsia, muitas outras possibilidades podem ser alcançadas.

O Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal da Faculdade de Medicina da UFMG atua em vários aspectos da Patologia Humana, mediante oferecimento de disciplinas de graduação e de pós-graduação, treinamento de especialistas (patologistas) e formação de mestres e doutores na área.